Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Biblioteca + - Imprimir

Inicio » Biblioteca » Documentos Privados » Mulher com Deficiência

Mulher com Deficiência

no dia 28 de Junho de 2013
Mulher com Deficiência

 

As mulheres com deficiência são duplamente discriminadas. Porque são mulheres e porque são pessoas com deficiência. Sofrem em silêncio, privadas da sua identidade, um esquecimento total da sociedade. Poucas ou nenhumas referências lhe são dedicadas, mesmo no dia em que se comemora a sua condição de mulher.
Apelidadas de cidadãos invisíveis, as pessoas com deficiência situam-se entre os estratos mais pobres da sociedade. E se é certo que é difícil para os homens com deficiência viver numa sociedade viver numa sociedade que ignora os seus mais elementares direitos humanos, para as mulheres com deficiência a situação é intolerável.
Num estudo efectuado pela Disabled Peoples' International sobre a violência que é exercida sobre as mulheres com deficiência intitulado "A violência significa a morte da alma" é referido: "Ser uma mulher com deficiência tem um significado particular. Significa enfrentar contínua discriminação, violações dos direitos humanos e exclusão do meio. As violações físicas e psicológicas, sofridas e raramento expressas, forçam as mulheres com deficiência a isolarem-se em si mesmas, não se reconhecendo nunca mais como indivíduos".
Privadas do acesso à educação, ao emprego, à sexualidade e à maternidade tornam-se vítimas silenciosas de todo o tipo de abusos, que começa muitas vezes no seio da família para se alargar depois às instituições.
É urgente que as organizações de direitos humanos e as organizações de mulheres comecem a inscrever nos seus programas e reivindicações as questões das mulheres com deficiência. Tornar visíveis as cidadãs invisíveis, dar a conhecer as terríveis situações de isolamento e solidão em que vivem milhares de crianças, jovens e mulheres no nosso País. Para que cada um de nós exija o respeito pelos seus direitos humanos e ninguém possa um dia dizer: desculpe, mas não sabia.

Lisboa, 8 de Março de 2002

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não