Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Biblioteca + - Imprimir

Inicio » Biblioteca » Doenças e Sintomas letra - A » Andropausa

Andropausa

no dia 28 de Junho de 2013

A Menopausa é um fenómeno evidente que leva a uma mudança radical na vida da mulher. Corresponde não somente à paragem das menstruações, mas também ao fim da função reprodutora, com todas as implicações biológicas, psicológicas e sociais daí decorrentes. Conhecido desde 1983, o termo Menopausa significa «o fim da função ovárica». É um período importante na vida da mulher, durante o qual deixa de ser menstruada.

A Andropausa é uma situação inespecífica, discutível na sua aparência real, na qual existem alterações que modificam as capacidades reprodutoras no homem, quer em qualidade quer em quantidade, acompanhadas de uma diminuição da actividade sexual. A palavra Andropausa aparece, em 1952, definindo "a cessação natural da actividade sexual no homem", no período compreendido entre os 40 e os 60 anos.

No entanto, ao contrário da mulher em período menopáusico, o homem com o avançar da idade não perde a capacidade fértil e existem homens com actividade sexual após os 60 anos. Todavia, há outros, que são totalmente impotentes antes dos 40 anos. Logo, a definição referida de andropausa é parcial e pouco satisfatória.

J.M.Kaufmann, em 1989, publicava um trabalho intitulado “L'Andropause: mythe ou realité?” em que, de forma polémica, definia a andropausa como a "menopausa masculina", o que também não estava correcto, pois não existe perda de fertilidade, como acontece na menopausa. No mesmo ano, Georges Debled, na sua obra "LAndropause-Prevénir et Guérir e Vieillissement Sexuel chez l'Homme", considerava a andropausa como "o conjunto de modificações fisiológicas e psicológicas, que acompanham a cessação natural e progressiva da actividade sexual no homem". Neste conceito, mais correcto, o fim da actividade sexual seria um sintoma, entre outros existentes, como o excesso de peso ou a modificação do psiquismo. Na andropausa não há uma perda da capacidade de fertilização, no entanto, verifica-se uma diminuição do índice de fertilidade.

A função erótica conhece um envelhecimento com o decorrer dos anos, como todas as outras funções, embora varie de indivíduo para indivíduo. No entanto, como dizia Martus,” não há nenhum limite traçado para a velhice quanto à sexualidade do homem e da mulher”.

A potência sexual e a capacidade fértil podem existir até uma idade avançada. Esta só por si não pode ser acusada de destruir a rigidez eréctil, a capacidade procriadora, ou a actividade sexual. Existem inúmeros casos de procriação de velhos, havendo na Bíblia a exemplificação desta situação. No capítulo versos 25 do Génesis, é dito que "Abraão concebeu Ismael com a idade de 86 anos, e Isaac aos 100 anos". No Evangelho segundo São Lucas, o Arcanjo Gabriel anuncia a Zacarias que virá a ter um filho, o futuro João Baptista.

O aparecimento da sexualidade surge na puberdade, acompanhando transformações bem conhecidas deste período da vida, e a sua regressão, no que diz respeito a todas as funções dos órgãos genitais (erecção, ejaculação e fertilidade), que se manifesta na andropausa, acompanha os fenómenos de alteração física e psíquica do organismo. Estes factos são evidentes, mas desconhecidos, manifestando-se geralmente a partir dos 40 anos.

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não