Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » 72 por cento dos acidentes por mergulho ocorre a jovens
Imagem da Noticia

72 por cento dos acidentes por mergulho ocorre a jovens

no dia 13 de Agosto de 2013

A Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT) vai promover uma iniciativa de sensibilização para prevenir os traumatismos vertebro medulares provocados por acidentes relacionados com o mergulho, amanhã, dia 14 de Agosto, a partir das 11 horas, nas Piscinas Municipais de Abrantes.

De acordo com um estudo realizado em Portugal, pelos médicos Ricardo Prata e Jorge Mineiro em colaboração com a SPOT “A incidência predominante dos traumatismos vertebro medulares por mergulho ocorre nas faixas etárias mais jovens, com 43 por cento dos acidentes em jovens até aos 19 anos e 72 por cento se considerarmos os traumatizados até aos 29 anos”.

Os dados obtidos de forma prospetiva na época balnear de 2012, em Portugal, são os primeiros do género a serem colhidos e permitem colmatar a falta de literatura existente no nosso país acerca da real incidência destes traumatismos, bem como caracterizar a população neles envolvida e todo o processo decorrente desde o acidente até à alta hospitalar para o domicílio ou centro de cuidados continuados.

“É a população jovem a que mais sofre este tipo de traumatismos com consequências graves e permanentes na sua saúde, nomeadamente pela elevada incapacidade motora/sensorial facto esse que condiciona uma longa dependência de cuidados prestados por outros para quase todas as atividades da vida diária”, alerta Jorge Mineiro, presidente da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia.

O especialista acrescenta ainda: “Ao grande impacto psicológico associado a esta situação junta-se o impacto económico correspondente às hospitalizações frequentes, intervenções do foro médico e cirúrgico, fármacos, reabilitação lenta morosa e crónica para além da adaptação ao meio envolvente do doente e à nova condição física, o que explica as altas verbas despendidas no tratamento de lesões que podem ser evitadas”.

Os traumatismos vertebro medulares apresentam elevadas taxas de morbilidade/mortalidade particularmente elevada em Portugal face ao panorama europeu. As causas mais comuns são, para além do mergulho, os acidentes de viação, as quedas, os traumatismos com armas (principalmente as de fogo) e as atividades aquáticas de desporto/lazer.

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não