Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » Cancros agressivos poderão responder a anti-inflamatórios
Imagem da Noticia

Cancros agressivos poderão responder a anti-inflamatórios

no dia 08 de Julho de 2014

 Alguns pacientes oncológicos com tumores agressivos poderão beneficiar da toma de fármacos anti-inflamatórios utilizados no tratamento da artrite reumatóide, sugere um estudo publicado na revista "Cell Reports".

 Através de estudos realizados em cancro da mama triplo negativos, os investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA, descobriram que alguns tipos de tumores agressivos estão associados a vias antivirais que parecem estar envolvidas na progressão da inflamação, a qual desempenha um papel importante no cancro, artrite reumatóide e outras doenças inflamatórias.

 O estudo refere que os tumores que activam esta via antiviral apresentam sempre alterações em duas proteínas, a p53 e ARF, que são codificadas por genes conhecidos por estarem altamente mutados em vários cancros. Foi verificado que quando estes dois genes estão mutados, os tumores formados são mais agressivos do que se apenas um deles estiver mutado.

 Neste estudo os investigadores decidiram estudar o cancro da mama triplo negativo uma vez que estes tumores apresentam frequentemente mutações nestes dois genes.

  O estudo apurou que a maioria dos cancros da mama triplos negativos que não expressam estes dois genes activada uma via envolvida na resposta imune contra uma infecção viral. "O nível de activação não é igual ao  observado numa verdadeira resposta contra uma infecção viral, mas é maior que o normal", revelou, em comunicado de imprensa, o líder do estudo, Jason D. Weber.

 Os investigadores demonstraram também que uma família de proteínas, denominada por JAK, que se encontra nas redondezas da via antiviral controla o crescimento do tumor. "Há inibidores da JAK utilizados no tratamento da artrite reumatóide que estão a ser testados contra outras condições. Os nossos resultados sugerem que estes fármacos anti-inflamatórios podem ser benéficos para tratar pacientes que não expressem o gene ARF e o p53", conclui o investigador.

 

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não