Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » “O Hemisfério de Sofia”
Imagem da Noticia

“O Hemisfério de Sofia”

no dia 10 de Outubro de 2014

As FARMÁCIAS HOLON associam-se à Raríssimas para promover a divulgação do livro “O Hemisfério de Sofia”. A jovem autora tem 23 anos e sofre da Síndrome de Sturge-Weber, uma doença neurológica extremamente rara.

 

 

O livro “O Hemisfério de Sofia” é a colecta do seu mais relevante espólio artístico, com obras a azulejo, tinta da china, aguarela sobre tela, caneta fina e barro.

 

“A pintura transmite-me calma e foi a forma que encontrei para expressar o que sinto perante o mundo. É através dos meus desenhos que vou conseguindo mostrar a minha força de vontade para ultrapassar todas as minhas limitações físicas ou emocionais, acreditando sempre que chegarei mais longe. Não desistam, sejam felizes”, diz Sofia Dias.

 

 

 

 

 

“Esta obra reflecte o trabalho artístico da Sofia e demonstra a sua força interior, que tanto nos inspira”, refere José Pedro Freitas Pinto, Director de Marketing das Farmácias Holon.

 

 

O prefácio é escrito pelo Professor Marcelo Rebelo de Sousa e todas as obras são fotografadas por António Homem Cardoso, reconhecido fotógrafo português.

 

A jovem artista dedica-se à pintura desde 2008. Ao longo da sua vida e com todas as limitações que a doença tem vindo a impor, Sofia Dias conseguiu, de forma ímpar, desenhar e pintar obras que refletem as suas várias facetas.

 

Sobre a Sofia Dias:

Sofia Dias foi diagnosticada, aos 3 meses de idade, com Síndrome de Sturge-Weber. Trata-se de uma doença neurológica, extremamente rara, causada por uma má-formação artério-venosa que acontece num dos hemisférios do cérebro.

 

A sua primeira operação durou 17 horas e envolveu 14 profissionais de saúde. A Sofia é hoje a única sobrevivente num universo de 25 pessoas submetidas a esta operação em todo o mundo. Neste momento, a Sofia não tem o hemisfério cerebral direito, o que faz com que sofra 98% de incapacidade física e deficiência visual, com uma visão central tubular a 4% (ausência de visão periférica).

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não