Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » Gene defeituoso afecta milhares
Imagem da Noticia

Gene defeituoso afecta milhares

no dia 23 de Fevereiro de 2005
Um pequeno desequilíbrio num gene poderá estar na origem de doenças mentais tão complexas como a esquizofrenia, que afecta entre 50 a 100 mil portugueses, aponta um estudo publicado na última edição da revista científica Cell. O director da equipa responsável pela descoberta, Gerard J. M. Martens, do Instituto de Investigação em Neurociências da Universidade de Nijmegen, na Holanda, explicou que os indivíduos parecem estar predispostos à esquizofrenia por uma "trágica e misteriosa" combinação entre genética, um trauma pré-natal, uma infecção viral e as suas experiências numa idade inicial. Os investigadores, realçou, tentam há muito tempo perceber as possíveis causas de desordens mentais como a esquizofrenia, cujos sintomas incluem alucinações, ilusões, paranóias e comportamentos anti-sociais. Martens e a sua equipa demonstraram em experiências com ratinhos que essa combinação de sintomas pode surgir de um subtil desequilíbrio de um gene (Aph-1b) cujas proteínas desempenham um papel fundamental no desenvolvimento neurológico. Os cientistas estudaram as diferenças genéticas entre ratinhos criados para serem tanto resistentes como susceptíveis a uma molécula chamada apomorfina. Uma variada série de experiências revelou que os ratinhos vulneráveis à apomorfina mostraram diferenças tanto no comportamento como bioquímicas, em comparação com ratinhos normais. Mais, essas diferenças desenvolviam-se de acordo com o stress a que estavam submetidos durante as suas primeiras experiências de vida. Os investigadores utilizaram chips de genes para analisar a actividade de milhares de genes nos cérebros dos animais e as diferenças entre dois tipos de ratinhos. Fonte:Correio dos Açores [Fim de Notícia]

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não