Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » Angola:
Imagem da Noticia

Angola:

no dia 05 de Julho de 2006
O Ministério da Saúde de Angola adiou por tempo indeterminado o início da campanha de vacinação e desparasitação de crianças menores de cinco anos, que deveria começar hoje em todo o país, alegando razões de natureza operacional. Num comunicado divulgado em Luanda poucas horas antes do início da campanha, o Ministério da Saúde refere que o adiamento foi motivado por "razões de ordem operacional e logística de última hora". A campanha deveria decorrer entre hoje e domingo nas zonas urbanas do país, prosseguindo entre 12 e 26 de Julho nas áreas rurais. O comunicado do Ministério da Saúde não especifica as razões que originaram o adiamento e também não adianta quando poderá começar esta campanha, que a UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) considerou ser "prioritária" para a protecção das crianças angolanas. "Esta campanha terá um impacto directo positivo sobre a mortalidade infantil, sendo parte de um esforço mais duradouro para reduzir a mortalidade materno-infantil", afirmou Akhil Iyer, representante interino do UNICEF em Angola, na conferência de imprensa de apresentação da iniciativa, realizada na semana passada em Luanda. A campanha, intitulada 'Viva a Vida com Saúde', pretende atingir mais de três milhões de crianças angolanas menores de cinco anos, incluindo a vacinação contra a poliomielite e o sarampo, a administração de vitamina A e a desparasitação com albendazol, além da distribuição de mosquiteiros impregnados com insecticida de longa duração nas províncias mais afectadas pela malária. A iniciativa, orçada em cerca de 15 milhões de dólares (11,7 milhões de euros), está integrada no plano estratégico do governo que visa reduzir em 50 por cento a taxa de mortalidade infantil até 2008. Angola tem actualmente uma das mais elevadas taxas de mortalidade infantil do mundo, indicando os últimos dados disponíveis que morrem 154 em cada 1.000 crianças que nascem no país. Fonte:Lusa [Fim de Notícia]

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não