Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » Dermatite atópica, ou eczema
Imagem da Noticia

Dermatite atópica, ou eczema

no dia 23 de Março de 2007
Quanto ao diagnóstico, é essencialmente clínico. é, pois, feito pela análise das áreas cutâneas afectadas, pelo aparecimento da comichão, da vermelhidão e da inflamação. Outro critério que ajuda a diagnosticar a patologia é a existência de familiares com rinite e/ou asma. Pode também ajudar o valor da IgE total uma análise ao sangue que indica, de uma forma genérica, a predisposição de cada indivíduo para desenvolver alergias. Já para se descobrir o alergénio ao qual a pessoa é sensível, que provoca uma reacção e que poderá estar na génese da doença, são fundamentais os testes cutâneos e de contacto. Note-se que nos primeiros são colocadas em ambos os antebraços várias gotas de soluções alergénicas, que depois são introduzidas dentro da pele com a ajuda de uma pequena lanceta; nos testes de contacto, é colado nas costas uma espécie de penso previamente embebido no alergénio e que permite a persistência do contacto do alergénio com a pele durante pelo menos 48 horas. Caso se façam os testes cutâneos a 100 indivíduos da população em geral, encontra-se cerca de 40% de pessoas com, pelo menos, uma resposta positiva a um dos alergénios. Mas só metade desses 40% é que eventualmente estão afectados por alguma patologia alérgica, observa o imunoalergologista, salientando: Os testes mostram a que se é alérgico, mas não é obrigatório que se desenvolva a doença. Por exemplo, se alguém que teve uma reacção positiva ao pêlo do gato, se nunca contactar com gatos, é provável que não venha a desenvolver qualquer doença alérgica. Como é sabido, existem três níveis de prevenção: primária, secundária e terciária. A primária é feita quando não há uma doença; a secundária quando há uma predisposição para o seu aparecimento; por fim, a prevenção terciária é aplicada aos portadores da doença e, regra geral, tem um carácter terapêutico. Aplicada à dermatite atópica, a prevenção primária é injustificável. Já a secundária é dirigida aos indivíduos em risco e a terciária aos doentes. Devem fazer prevenção os filhos e irmãos de doentes que tiveram eczema na infância, bem como crianças em cuja família existem casos de alergia respiratória, menciona Manuel Branco Ferreira, enunciando alguns cuidados a ter na exposição ao principal alergénio os ácaros do pó da casa: Evitar a acumulação do pó, usar capas protectoras para colchões e almofadas, manter a pele bem hidratada e, entre outros, usar roupa de algodão e evitar a de fibras, porque o suor faz aumentar a comichão. Fonte:Sapo [Fim de Notícia]

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não