Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » Dia Mundial do Coração
Imagem da Noticia

Dia Mundial do Coração

no dia 26 de Setembro de 2007
Mais de cem dos 308 municípios portugueses vão desenvolver no domingo iniciativas de promoção da actividade física, para assinalar o Dia Mundial do Coração, com a comunidade médica a estimar que quase metade da população portuguesa seja hipertensa. "Um estudo recente concluiu que quase metade (47 por cento) da população portuguesa é hipertensa. Neste Dia Mundial do Coração quisemos envolver os municípios, uma vez que a participação de todos é fundamental", disse hoje à agência Lusa Luís Negrão, responsável da Fundação Portuguesa de Cardiologia. O último Inquérito Nacional de Saúde, de 2006/2007, divulgado em Agosto, mostrou que cerca de 20 por cento dos portugueses referem ter hipertensão. Luís Negrão sublinha que este dado apenas representa a quantidade de pessoas que sabem que são hipertensas, estimando-se em quase 50 por cento a população com tensão persistente acima dos 140/90. Outra preocupação da Fundação Portuguesa de Cardiologia é a ausência de controlo da tensão arterial, um "trabalho que deve ser feito constantemente pelo doente". "Só 11 por cento da população hipertensa é que tem a sua tensão arterial controlada. O doente deve fazer constantemente vigilância e não depender apenas das idas ao médico para o fazer. é também importante ter um registo da tensão", comentou Luís Negrão. O combate ao sedentarismo e o controlo do sal na alimentação devem acompanhar esta vigilância, avisam os cardiologistas, sublinhando que Portugal é o país da Europa com mais casos de AVC (acidentes vasculares cerebrais), muitas vezes motivados por casos de hipertensão. Outros factores de risco para problemas cardiovasculares são o excesso de peso, o consumo de tabaco e de álcool. Segundo o Inquérito Nacional de Saúde, quase dois em cada dez portugueses têm excesso de peso e 16,5 por cento da população adulta é obesa. A população com obesidade aumentou quase três pontos percentuais em sete anos, quando comparado o período 2005/2006 com 1998/1999. Considera-se que uma pessoa tem excesso de peso quando o seu índice de massa corporal - relação entre o peso e a altura - se situa entre 27 e 30 quilos por metro quadrado e torna-se obesa quando o mesmo índice ultrapassa os 30 kg/m2. O mesmo Inquérito mostrou que o consumo de álcool e tabaco pelas mulheres portuguesas aumentou nos últimos sete anos em Portugal. Em Portugal Continental, registou-se um aumento de cinco pontos percentuais de mulheres consumidoras de álcool, passando de 37,3 por cento em 1998/99 para 42,3 por cento em 2005/06. Também se verificou um aumento entre os homens, apesar de mais ligeiro: de 64,4 por cento para 66 por cento. No total dos dois sexos, houve um acréscimo de 3,4 pontos percentuais dos consumidores de bebidas alcoólicas, com o vinho a continuar a liderar as preferências dos portugueses Fonte:Lusa [Fim de Notícia]

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não