Nesta página encontra 2 elementos auxiliares de navegação:Motor de busca | Saltar para o conteúdo

Portal do Cidadão com Deficiência

Associação Portuguesa de Deficientes Delegação S.Miguel

Navegação

Em conformidade com a Acessibilidade Web:

Símbolo de
Acessibilidade à Web Acessibilidade Certificada Validação W3C WAI-AAA Validação W3C CSS Validação W3C XHTML

Notícia + - Imprimir

Inicio » Notícias » 16 de abril | Dia Mundial da Voz
Imagem da Noticia

16 de abril | Dia Mundial da Voz

no dia 13 de Abril de 2011
Segundo a European Network of Cancer Registries (EUCAN), Portugal continua a ser o segundo país europeu com maior registo de mortos com cancro na laringe, logo a seguir a Espanha, com o maior número de vítimas mortais desta patologia. O cancro da cabeça e pescoço, onde se insere o cancro da laringe, ocupa mundialmente o 6 lugar entre as doenças oncológicas. Anualmente surgem cerca de 1000 casos e morrem mais de 400 pessoas com esta doença que diagnosticada atempadamente pode ser curada. No entanto, mesmo para os doentes que sobrevivem ao cancro da laringe, as consequências do mesmo têm um elevado impacto na sua qualidade de vida e um impacto igualmente significativo na sua eficácia comunicativa. No próximo dia 16 de abril, celebra-se o Dia Mundial da Voz, efeméride que tem como objetivo a sensibilização para a importância, alterações e cuidados a ter para a manter este instrumento de comunicação saudável. Na existência de alterações na qualidade da voz, devem ser consultados profissionais de saúde como o otorrinolaringologista e o terapeuta da fala, habilitados para avaliar a situação, diagnosticar e estabelecer a intervenção terapêutica mais adequada. Nesta mesma data, artistas nacionais como David Fonseca, Legendary Tigerman, Hands on Approach, Nu Soul Family e Vitorino, vão juntar as vozes num concerto solidário, na Academia Almadense às 21 horas. Os bilhetes custam 10 euros e estão disponíveis a partir do dia 4 de abril na Bilheteira da Academia, de 2 a 6 feira, entre as 14 e as 20 horas. O espetáculo surge no âmbito do projeto Dar voz a quem não tem sendo que as receitas reverterão a favor do Núcleo de Laringectomizados do Hospital Garcia de Orta, integrado no MovApLar da Liga Portuguesa Contra o Cancro, um grupo que tem apoiado doentes oncológicos de toda a zona de influência desta unidade hospitalar. Segundo Luís Antunes, Diretor do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Garcia de Orta ao longo dos vinte anos do Serviço de Otorrinolaringologia do Hospital Garcia de Orta, temos verificado um crescimento considerável na frequência do cancro da laringe. Num estudo epidemiológico realizado neste Serviço em 2011, com uma amostra aleatória de 1000 doentes observados na consulta de otorrinolaringologia e acompanhados na consulta de Terapia da Fala, o cancro da laringe foi a patologia mais frequente no sexo masculino, correspondendo a cerca de 24% das patologia vocais neste sexo, onde comportamentos como o mau uso e abuso vocal bem como os hábitos tabágicos e alcoólicos revelaram ser atitudes de risco significativas para o desenvolvimento desta doença. O especialista realça também que o cancro da laringe é uma patologia que induz grandes alterações na qualidade de vida não só do doente mas também da família. é necessário que as pessoas sejam responsáveis pela sua condição de saúde, que tenham um papel ativo na sua manutenção e que procurem ajuda do profissional de saúde atempadamente para que possamos, em conjunto, diminuir sua a incidência. O diagnóstico precoce é a arma determinante na luta contra esta doença. Desta forma, torna-se imprescindível a valorização de uma sintomatologia variada e inespecífica que se pode apresentar sob a forma de rouquidão progressiva ou persistente, dificuldade em engolir, dor de garganta permanente ou dor a engolir, dificuldade em respirar, dores nos ouvidos entre outros. Todos estes sintomas mantidos no tempo por mais de uma semana devem ser alvo de estudo. Fonte:Guess What? [Fim de Notícia]

EM DESTAQUE

PRÓXIMOS EVENTOS

Mais Eventos

INQUÉRITO

Março é o mês da Saúde dos Pés. Já consultou um Podologista?

  • Sim
  • Não